Alérgicos sofrem com falta de informações em rótulos

Postado em 06/09/2017 |

06/09/2017

Reportagem da jornalista Camila Salmazio, do portal Brasil de Fato, mostra como é tenso para famílias com crianças alérgicas o momento de compras nos supermercados, devido à falta de informação sobre os ingredientes nos rótulos dos produtos. 
 
Conta Camila que a também jornalista Mariana Claudino viveu esse problema na pele quando o filho teve uma reação severa à proteína do leite pela ausência de referência na embalagem.  Depois disso, Mariana se juntou a outros pais de alérgicos alimentares e, em 2014, criou o movimento Põe no Rótulo. 
 
A campanha nacional chama a atenção para a necessidade de rotulagem correta dos alimentos alérgenos, como leite, ovo, castanha, soja, trigo, peixe, amendoim, entre outros. 
 
Os Serviço de Atendimento ao Consumidor (SACs), sugerido nos produtos como alternativa para obter informações se mostrou insuficiente para atender a demanda dos consumidores alérgicos, como relata Claudino:
 
“Eu ligava para os SACs e não tinha uma orientação, não tinha uma resposta adequada, os Sacs não funcionam no fim de semana, não aceitam ligação de celular. A gente não tinha respostas claras e foi com isso que a gente começou a se deparar como mãe de alérgico. Então, a gente tentou, a partir daí, pensar num movimento nacional que chamasse atenção e conscientizasse as pessoas com relação a alergia alimentar", comenta a jornalista. 
 
De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, cerca de 8% das crianças e 3% dos adultos brasileiros têm alergia alimentar. Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da USP mostrou que 39,5% das reações alérgicas estão relacionadas a erros de leitura dos rótulos dos produtos.
 
Além da falta de informações, Mariana conta que outro obstáculo é decifrar os ingredientes que possuem diversas nomenclaturas e geralmente estão impressos em letras miúdas. “Eu brinco que eram umas caixinhas de surpresa, a gente não sabia o que tinha ali dentro. Até porque os nomes da proteína do leite apareciam de uma maneira muito misteriosa: caseinato de sódio, caseina, proteína hidrolisada, então, porque não destacar de uma maneira clara para quem tem algum alérgico na família ou quem sofre de alergia alimentar?”.
 
Após a campanha Põe no Rótulo, que contou com grande adesão, a Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária determinou que as indústrias devem informar a presença de pelo menos oito alimentos alergênicos, em todos os produtos. 
 
Porém, o mercado ainda possui muitos rótulos sem informações. Para mudar esse cenário, Mariana sugere que a fiscalização seja feita por toda a sociedade: 
 
"É você, é qualquer pessoa que se incomode com isso e que veja um rótulo errado, que não está conforme a Anvisa determinou, pode e deve mandar um email para o ouvidoria@anvisa.gov.br dizendo que a indústria não se adequou a RDC. O que a Anvisa diz é que (a empresa) pode sofrer sanção e multa já que não está seguindo uma norma que foi determinada por ela", finaliza. 
 
 

fonte: Camila Salmazio | Brasil de Fato

Navegue no portal

O Portal da Asbran está sempre com novidades para melhor atender você. Aqui você vai encontrar muita informação, acessar publicações, resgatar a memória e conferir o calendário de eventos.

TÍTULO DE ESPECIALISTA

em nutrição

CONBRAN

congresso de nutrição

CANAL ASBRAN

vídeos

MEMÓRIA ASBRAN

nossa história

REDE ASBRAN

associe-se

REVISTA DA ASBRAN

eletrônica

AGENDA DA NUTRIÇÃO

eventos programados

PRONUTRI

nutrição clínica